sábado, 13 de novembro de 2010

Pesquisa revela por que gatos e tigres tomam líquido sem se sujar

Felinos alcançam equilíbrio perfeito entre gravidade e inércia


Por Fabio Rinaldi

Cientistas americanos descobriram o mistério de como os felinos conseguem beber elegantemente a água e o leite sem fazerem sujeira. O estudo foi divulgado nesta quinta-feira (11) por pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) e da Universidade de Princeton, ambos dos Estados Unidos.

Com a ajuda de vídeos, eles descobriram que gatos domésticos e felinos selvagens, como o tigre, utilizam com perfeição o equilíbrio entre duas forças da física: a gravidade e a inércia.

Para beber, os gatos curvam a extremidade da língua na forma de uma concha e a estendem sobre a tigela. Esse fenômeno havia sido observado pela primeira vez em 1940, com a ajuda de uma câmera. Agora, no entanto, com auxílio de câmeras de grande precisão, a equipe de pesquisadores observou que apenas a extremidade da língua do gato toca o líquido.

Ao contrário dos cães, os gatos não mergulham a língua toda na água ou no leite enquanto estão bebendo. Segundo os cientistas, o recurso utilizado pelos felinos é muito mais sutil e elegante.

A extremidade da língua do gato toca apenas a superfície do leite e se encolhe rapidamente. Desta forma, cria-se uma coluna de líquido entre a língua e a superfície do líquido. Essa coluna é resultado de um equilíbrio delicado entre a gravidade (que puxa o leite de volta para a tigela) e a força da inércia (que é a tendência do líquido continuar em movimento).



Os gatos domésticos dão quatro lambidas por segundo, recolhendo 0,1 ml de líquido em cada uma delas. Segundo os pesquisadores, a quantidade de líquido ingerida depende do tamanho e da velocidade da língua. Por isso, o gato define a velocidade da lambida para captura o máximo da bebida.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

ESTAMOS NO TWITTER! SÓ FALTA VOCÊ!


Por Fabio Rinaldi

Pois é pessoal...depois de um longo inverno sem escrever devido aos intensos compromissos, estamos aqui para avisar que voltamos com força total. Nosso Twitter vai ser uma poderosa ferramenta de divulgação do mundo felino. Estamos esperando por vocês! Anotem ai: www.twitter.com/loucosporgatos

sábado, 24 de julho de 2010

Como os felinos conseguem enxergar no escuro?



Por Fabio Rinaldi

Na escuridão total, eles não vêem quase nada, mas são capazes de enxergar com muito pouca luz - o equivalente a algo entre 40% e 50% a mais que nós, humanos. Há mais de uma razão para isso. A primeira é que seus olhos têm uma estrutura refletora - chamada região tapetal - que provoca uma dupla estimulação dos receptores responsáveis pela percepção de cores e formas: os cones e bastonetes (que os felinos, ainda por cima, têm três vezes mais que os humanos). "O reflexo dessa camada espelhada é que produz aquele brilho esverdeado que vemos à noite nos olhos dos gatos", diz o veterinário Paulo Sérgio Moraes de Barros, da USP. (O mesmo princípio é utilizado nos sinalizadores de estradas, batizados, com toda propriedade, de olhos-de-gato!)

Além disso, a pupila do gato dilata três vezes mais que a humana, permitindo a entrada máxima de luz bem nos momentos em que esses animais saem à caça: aurora e crepúsculo. Em compensação, quando exposta ao sol, a pupila se reduz a uma fenda mínima, contrabalançando essa hipersensibilidade à luz. Assim, durante o dia a visão dos gatos não é tão boa quanto a de seus donos. Eles distinguem mal as cores e não enxergam bem de longe.

O olho e o cérebro do gato


Por Fabio Rinaldi

Como acontece com os humanos, o olho e o cérebro do gato podem ser enganados com truques de perspectiva.
O gatinho está sobre uma placa de vidro pintada para parecer um degrau. Ele hesita com medo de levar um tombo

Curiosidades que você ainda não sabe sobre gatos!


Por Fabio Rinaldi

• O catnip ou erva de gato contém um óleo que atua no cérebro do gato.
Os bichanos entram em transe: cheiram, lambem ou mordem as folhas, rolam no chão e dão pulos no ar, ronronam e miam. Alguns gatos são imunes ao catnip.

• Os gatos têm um órgão olfativo no céu da boca. Por isso às vezes farejam e ficam um tempo com a boca aberta e uma cara estranha. Eles podem saborear os aromas.

• Gatos têm na ponta do nariz um desenho tão particular como o padrão das impressões digitais de um humano. Do mesmo modo, é único para cada bichano.

• Os gatos têm sangue tipo A e B como a gente.

• Ao contrário dos cães, os gatos não pensam que são humanos, e sim que os humanos é que são algum tipo de felino.

• Se vêem algo voando, querem pegar. Os apartamentos têm que ter redes nas janelas.

• O gato é criatura inteligente, como caçador solitário e competente que é: calcula, resolve problemas e tem que ser versátil para sobreviver.

• Gatos não aprendem a atravessar ruas.

• Gatos formam laços de amizade com humanos. Entre si mesmos os gatos têm relações intensas de amizade e amor.

• Gatos aprendem, mais do que agem por instinto. Aprendem por observação ou ensinados pelas mães gatas a caçar e usar a caixa de areia.

• Xixi de gato brilha no escuro com luz negra.

• Segundo o estudioso do comportamento animal Konrad Lorenz, o gato é um dos poucos animais que mostram o que sentem claramente por suas expressões faciais.

• Gatos transpiram pelas almofadinhas da sola dos pés. Repare no consultório do vet: a mesa de inox fica com as marcas úmidas das pegadas do bichano estressado.

• Como um pássaro, o gato usa seu relógio biológico, o ângulo da luz do sol e o campo magnético da Terra para se orientar. Ele pode achar sua casa a uma distância enorme graças a essa faculdade. Ele não consegue achar pessoas que estão longe: não usa o faro para seguir uma trilha.

• Gatos têm memória excelente.

Crônica de Carlos Drummond de Andrade


Por Fabio Rinaldi

"Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultura. É o movimento civilizado de um organismo plenamente ajustado às leis físicas, e que não carece de suplemento de informação. Livros e papéis, beneficiam-se com a sua presteza austera. Mais do que a coruja, o gato é símbolo e guardião da vida intelectual".

Cuide bem do seu amigo felino!


Por Fabio Rinaldi

Cuidados com seu gato

Quando você comprar um gato, faça um exame preliminar, que indicará se o gato tem algum problema de saúde.
◦Limpe os olhos com algodão umedecido em água boricada ou água morna (não quente). Use um algodão diferente para cada olho. Não use cotonete para não correr o risco de ferir o animal com a haste.
◦Observe as orelhas do gato em busca de cera excessiva ou uma infecção, o que poderia indicar a presença de carrapatos. Utilize um cotonete (umedecido em óleo de bebê) por orelha, para retirar o excesso de cera e sujeira da cartilagem exterior. Cuidado e não insira o cotonete no canal auditivo!
◦Veja se as gengivas estão inflamadas (gengivas saudáveis são de coloração rosa pálida), veja se há tártaro (uma placa marrom na base do dente), dente quebrado, mau-hálito ou qualquer outro problema. A maioria destes problemas requer cuidado veterinário. Os dentes devem estar brancos, sendo que gatos adultos podem ter dentes ligeiramente amarelados pelo tártaro.
◦Sua barriguinha deve estar cheia mas não muito estufada (caso esteja assim, pode ser sinal de vermes). Observe se há algum sobressalto (pode ser hérnia umbilical), cheque as patas por alguma deformidade.
◦Veja se o gato não está mancando ou com algum outro problema.
◦Sua pelagem deverá ser suave e sem bolas de pêlos embaraçados. Veja se a pele tem caspa ou áreas com falta de pêlos (isso é sinal de micose). Veja também a presença de pulgas (elas deixam pequenos pontos pretos) e outros parasitas.
◦Procure sinais de diarréia ou vermes. O ânus, e a vulva (se for fêmea) devem estar limpos.
◦Apare-as usando um cortador de unhas (trim) ou alicate próprio para unhas de animais. Corte sempre apenas a pontinha da unha, e tenha certeza de que não está atingindo a parte rosada que é extremamente sensível.
◦Dê sempre uma boa alimentação, para seu gato ter sempre muita saúde. Rações secas e úmidas de qualidade poderão ser encontradas nos Pet Shops. Se o gato é filhote use a própria para a idade dele.
◦A água deverá sempre estar disponível, limpa e fresca.

Obs.: Seu gato não tem 7 vidas...! Fale com o veterinário antes de dar qualquer medicamento

Cinzas de um gato de novela foram arrematadas por 1.000 euros


Por Fabio Rinaldi

As cinzas do gato que aparecia na abertura da mais longa novela britânica, "Coronation Street", durante 11 anos, foram arrematadas nesta quinta-feira por 844 libras (1.000 euros), anunciou nesta quinta-feira a casa de leilões Dominic Winter.

Durante esses anos todos, milhões de telespectadores de "Coronation Street" acompanharam a novela que mostrava logo de início o gato Frisky, saltando sobre um pombal.

O felino de pelagem clara, tigrada, havia sido selecionado entre 5.000 gatos para desempenhar o papel em 1990, e apareceu em mais de mil espisódios até sua morte, há dez anos, aos 14 anos de idade.

As cinzas de Frisky, conservadas numa urna de madeira ornamentada com uma placa de latão, foram oferecidas em leilão por seu proprietário.

Segundo um porta-voz da casa de leilões Dominic Winter, o lote foi arrematado por um colecionador privado, ao final de uma venda muito disputada.

"Frisky não era apenas um animal doméstico muito amado, ele também conquistou o coração da nação e motivou a doação de milhares de libras para organizações de caridade", declarou seu proprietário, John Rimington, antes da venda.

"Coronation Street" foi filmada num subúrbio de Manchester, no nordeste da Inglaterra. O primeiro episódio foi divulgado no dia 9 de dezembro de 1960.

Antes do leilão, os restos mortais de Frisky foram estimados por um valor entre 100 e 150 libras (152,90 a 229,3 - dólares), segundo a casa de leilões .

terça-feira, 20 de julho de 2010

Entretenimento Felino


Por Fabio Rinaldi

A Designer de Interiores Glauce Arrais, preocupada com o bem-estar de seus felinos, tratou de bolar brinquedos que estimulam e entretêm os bichanos.

"Já fiz muito e sempre invento algo novo para os gatos. Já fiz casinha de papelão, pêndulo com barbante, cachecol de lã, caminha e cobertor. Em relação aos brinquedos, fiz pelo prazer de vê-los brincando com algo que eu mesma produzi e pela preocupação de que fiquem bem na minha ausência, já que saio cedo para trabalhar e só volto a noite. São brinquedos que os ajudam a combater o sedentarismo e reforçam o entrosamento entre eles, já que tenho 05 gatos e todos foram adotados em épocas diferentes. Servem também para aguçar o instinto de curiosidade deles. Em relação aos acessórios, isso já é coisa de "mamãe de gato" que quer ver os filhinhos na moda.Pura vaidade..."

Família vivia com 191 gatos na Suécia


Por Fabio Rinaldi

Lei sueca proíbe a posse de mais de nove gatos.
'Havia um fedor terrível de amoníaco', disse veterinária.


A família de quatro pessoas, uma mulher de 60 anos, sua mãe, a irmã e seu filho, vivia com 191 gatos em Botkyrka, a 25 km ao sudoeste de Estocolmo.

"Havia um fedor terrível de amoníaco que deixava o ar irrespirável", explicou ao jornal Marie Lundin, uma veterinária dos serviços sociais da cidade.

Os serviços sociais descreveram as condições como indignas, com corpos de gatos ao sol, outros doentes ou machucados e caixas de areias cheias de excrementos.

Apenas 18 gatos estavam em condições de serem transferidos para um abrigo especializado. Os outros 173 tiveram que ser sacrificados. A lei sueca proíbe a posse de mais de nove gatos.

"Essas pessoas amam muito os animais e têm bom coração. Elas pensam que podem cuidar de todos, mas não estamos de acordo", explicou Karina Burlin dos serviços sociais da capital sueca.

Veterinários encontram cinco gatos de brinquedo em estômago de cadela


Por Fabio Rinaldi

Snowy foi levada à clínica porque estava vomitando tudo o que comia; brinquedos foram detectados em raio-X.

Um veterinário da região inglesa de Cambridgeshire descobriu cinco gatinhos de brinquedo no estômago de uma cadela que estava tratando.

Snowy, uma West Highland terrier branca, estava vomitando tudo o que comia e foi submetida a um raio-X no veterinário na cidade de Huntingdon.

A cadela estava se sentindo mal havia duas semanas.

"Ficamos muito surpresos que um cachorro tão pequeno conseguiu engolir brinquedos desse tamanho", disse o veterinário, Nigel Belgrove.

Segundo ele, a gata "mãe", o brinquedo maior, tinha cerca de 5 cm, enquanto os gatos menores mediam 2,5 cm cada.

Objetos
Segundo ele, a cadela teve sorte que os brinquedos, feitos de cerâmica, passaram pelo seu esôfago. "Snowy tem apenas um ano de idade e pesa 5 quilos", disse Belgrove.

Os donos acreditam que a cadela encontrou os brinquedos no jardim. Snowy se recuperou bem e está se sentindo bem melhor sem os gatos em seu estômago.

Segundo o veterinário, é comum que cachorros engulam objetos, normalmente atraídos pelo cheiro.

"Nós já encontramos coisas muito estranhas em exames de raio-X, como pilhas e também quatro bolas de golfe no estômago de um labrador."

Café oferece gatos como relaxamento para clientes em Tóquio

Por Fabio Rinaldi

Cafés em Tóquio oferecem gatos no cardápio. Calma pessoal!!!!É para os frequentadores acariciarem ou olharem para os bichos. A cidade tem pelo menos 30 gatos-café e cada hora com o animal equivale a R$ 24.

Vejam o vídeo!

Cemitério de SP faz censo para dar fim à morte de gatos


Por Fabio Rinaldi

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realiza um censo para saber quantos gatos vivem no Cemitério do Araçá, localizado entre os bairros Pacaembu e Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, e a administração do local vai instalar placas para orientar os visitantes sobre os animais que vivem ali. As medidas são uma tentativa de pôr fim à matança dos bichanos.

Até agora foi mapeada pelo CCZ metade da área do cemitério e se chegou a 99 gatos. Em levantamento anterior, durante campanha de castração dos animais, o órgão havia contabilizado 287.

Todo esse trabalho é realizado porque protetoras de animais denunciam que em torno de cem gatos sumiram nos últimos três meses e dez bichos mortos foram localizados. O resultado da necropsia, que está sendo feito pela Universidade de São Paulo (USP), deve ficar pronto nos próximos dias. A partir da causa das mortes, a Prefeitura vai decidir como será a campanha para os visitantes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

Alemão se casa com gata depois de 10 anos de convivência


Por Fabio Rinaldi

Um carteito se casou com a gata de estimação ao ser informado pelo veterinário que ela não viveria muito por estar doente, informou o tabloide alemão "Bild".

04/05/2010 09h42 - Atualizado em 04/05/2010 09h46

Alemão se casa com gata depois de 10 anos de convivência
Uwe Mitzscherlich foi avisado que animal está doente.
Cecília usou véu para cerimônia no quintal do 'noivo'.
Do G1, em São Paulo

imprimir
Um carteito se casou com a gata de estimação ao ser informado pelo veterinário que ela não viveria muito por estar doente, informou o tabloide alemão "Bild".



Uwe Mitzscherlich celebra união com a gata Cecília (Foto: Reprodução/Bild)Uwe Mitzscherlich, de 39 anos, 'oficializou' a união com Cecília em uma cerimônia simples em seu quintal. A gata vestiu véu e o carteiro colocou seu melhor terno para a ocasião.

O animal vive com Mitzscherlich há 10 anos, mas sofre de obesidade e asma.

"Cecília é uma criatura muito confiável. Ela sempre dormiu na minha cama", disse o dono à publicação. "Nossos corações batem como se fossem um só. É único!", completou.

Cada um na sua loucura né pessoal???

Gata sobrevive a queda de oito andares


Por Fabio Rinaldi

Akira assistia TV com a dona quando resolveu dar uma voltinha.
April Twyford gastou AU$ 8 mil para salvar animal.


April Twyford ainda não sabe como Akira sobreviveu ao acidente. Ela estava assistindo TV quando recebeu o chamado de um vizinho informando que sua gata foi vista caindo da janela do oitavo andar e estava estirada na via pública. "Ela provavelmente pulou da janela do banheiro", acredita April.

Quando desceu para socorrer Akira, a jovem já esperava o pior, mas foi surpreendida com os miados da gata de estimação.

Akira foi levada para o hospital e passou por diversas cirurgias. April Twyford gastou cerca de AU$ 8 mil no veterinário.

Agora, Akira circula pelo apartamento de April com duas patas engessadas e o pelo do peito raspado.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Saiba as 10 coisas que os gatos não gostam


Por Glauce Arrais

"As 10 coisas que os gatos não gostam"

1 - Utilizar bandeja sanitária com areia acumulada de fezes e urina. A limpeza é essencial para evitar o contato com parasitoses e protozoários. Recomendo também aos proprietário que sempre utilize luvas para efetuar a limpeza.

2 - Utensílios como coleiras, roupas e laços podem ocasionar uma grande hipersensibilidade no animal, efetuando queda de pêlo local.

3 - Ingerir água parada. O felino por instinto possui o hábito de beber água corrente. Indico aos proprietários terem uma fonte pequena e com água filtrada para garantir que o gato esteja bebendo a quantidade necessária de líquido ao dia.

4 - Odores fortes como de alguns produtos de limpeza, sabão em pó e perfumes podem levar o gato a intensas crises respiratórias.

5 - Ficar no colo na posição sentado, com o dorso voltado para baixo, esta postura retira o animal da posição de defesa e equilíbrio em caso de queda.

6 - Escovação dos pêlos com rasqueadeiras, pois elas são mutio duras. O animal sente dor e pode ocasionar lesão na derme retirando toda a oleosidade de proteção da pelagem. A indicação adequada seria pente fino semanalmente.

7 - Mudanças bruscas de hábitos alimentares. Este fato é considerado de maior importância, pois os gatos não podem ficar sem comer por 48 horas e podem chegar a apresentar um quadro de Lipidose Hepática.

8 - Serem banhados com água fria, pois a pelagem dupla de algumas raças de gatos conserva a temperatura em sua derme um pouco mais elevada em determinadas épocas do ano, por isso recomenda-se o banho com água morna e produtos hipoalergênicos, escolhendo quando necessário o Pet Shop, onde no momento do banho o GATO não tenha estresse nem contato com os outros animais.

9 - Não manter o animal preso em ambientes pequenos. A necessidade de o felino se exercitar está relacionada ao seu metabolismo.

10 - O gato não costuma dormir muitas horas seguidas na parte da noite, pois possui hábitos noturnos como alimentação, entre outros.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

120a e 121a Exposições Internacionais de Gatos de Raça - CBG

Teremos samba!!! É isso mesmo! Nossa próxima exposição será realizada na quadra da escola de samba Mancha Verde. E obviamente que o tema é "Tem gato no samba". Vamos nos divertir como sempre!

As inscrições estarão abertas em nosso site a partir da zero hora do dia 14/07/10 e se encerrará no dia 21/07/10, também à zero hora.

Nossa gata Carolina Herrera gravou comercial para a Rede COBASI


Por Fabio Rinaldi

O comercial será veiculado em tv aberta. Em breve postaremos o vídeo para vocês! AGUARDEM...

Como se comunicar com seu gato


Por Fabio Rinaldi

Estudo revela que os gatos desenvolveram um sistema de comunicação elaborado, com centenas de vocalizações diferentes para comunicar aos humanos o que pretendem.

Os gatos também podem aprender a entender o que queremos se repetirmos sempre as palavras e acções de modo consistente. Desta maneira, poderemos comunicar com os gatos um diálogo que, apesar de exigir tempo e esforço, é gratificante para ambos.

passos:

1. Lembre-se que o som não é o modo preferido de comunicação de seu gato. A língua nativa dos gatos é um sistema complexo de expressão corporal, cheiros, expressões faciais e toque, enquanto nós humanos usamos primariamente o som. Os gatos rapidamente percebem que não entendemos os sinais não-verbais que eles usam uns com os outros, e vocalizam numa tentativa de comunicar na nossa língua. Ao observar qual reação cada som causa em nós, o gato está sempre aprendendo a fazer pedidos (ou exigências)

2. Escute seu gato. Se observar o que está fazendo enquanto mia, poderá aprender a associar a forma de miar e o aquilo que o seu gato pretende. Cada gato é diferente e pode ter suas variações, mas algumass formas de miar comuns incluem:

* Miado curto - cumprimento.
* Miados múltiplos - cumprimento excitado.
* Miado em tom médio - pedido por algo.
* Ronronado puxado - um pedido por algo.
* Ronronado grave - uma reclamação.
* Ronronado agudo - raiva ou dor.
* Murmúrio (movimentos rápidos de mandíbula, "falando" entre os dentes) - excitação ou frustração (como quando uma presa está fora de alcance ou escapa).
* Trinado (um cruzamento entre um miado e um ronronado com uma inflexão ascendente) - cumprimento amigável.
* Ronronado suave - convite para contato ou atenção.

3. Observe seu gato. Por serem mais fluentes com linguagem corporal, certos gestos vão acompanhar a vocalização para reforçar a mensagem.

* Cauda para cima - feliz
* Cauda balançando - excitado ou ansioso
* Olhos piscando - afecto.
* Orelhas para trás - alarmado
* Passar a cabeça, flanco e cauda em uma pessoa ou animal - ritual de saudação
* Bater a cabeça - amizade, afeto
* Cheirar o rosto - confirmando identidade
* Orelhas para trás e deitadas - medo e ansiedade


4. Converse com ele.

* Use um tom de voz ligeiramente mais alto para indicar amizade e um tom mais grave para indicar descontentamento ou agressividade.
* Repita sempre a mesma palavra (por exemplo 'dormir' ou 'cama'), a cada vez que for dormir, e eventualmente o gato vai associá-la com suas acções.
* Se piscar os olhos devagar enquanto estabelece contato visual com oseu gato, ele vai normalmente responder aproximando-se para seracariciado, pois as piscadas são muito amistosas.

5. Seja consistente. Por exemplo, os gatos normalmente pedem antes de entrar no espaço pessoal do outro, e um erro comum dos donos é dizer "não" mas assim mesmo acariciar o gato. Isto confunde o animal. Faça um não rápido e afaste o gato com firmeza, sem mostrar afecto, e é suficiente. A maioria dos gatos tenta duas ou três vezes invadir o espaço de alguém, frequentemente de direções diferentes. Tenha paciência ao dizer "não".
* Se eles fizerem algo que não aprova, borrife um pouco de água. Os gatos e a água raramente vão à bola juntos.
* Se não gostar da idéia de borrifar água no gato, desenvolva um "tom de voz de comando" para usar com seu gato quando ele estiver fazendo algo de errado. Use uma voz natural, fácil de repetir, mas que se distingua da sua voz normal. Se usar esta voz de comando seriamente e só quando necessário, o gato vai aprender a reconhecer quando está fazendo algo que lhe desagrada.
* Outro "não" fácil de fazer que todos os gatos reconhecem é um chiado rápido e agudo como o que é feito por eles mesmos quando dizem 'não'.

Esta lista não é, de modo algum, uma descrição exaustiva de gestos e vocalizações dos gatos, e pode não se aplicar a seu bichano. O sistema de comunicação felino é surpreendentemente complexo e se extende além do âmbito deste artigo.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Gata sobrevive a ciclo completo de máquina de lavar


Por Fabio Rinaldi

Kimba dormiu no meio da roupa suja e saiu de lá mais cheirosa e com a alma lavada

Dizem que a curiosidade matou o gato, mas, no caso de Kimba, uma gata persa de uma família australiana, o problema foi a preguiça.

A gata se meteu no meio da roupa suja que os donos iam acumulando dentro da máquina de lavar e, justo no momento em que ela se sentia mais confortável, a porta foi fechada e o aparelho foi acionado.

Seus donos só foram perceber o que havia acontecido 30 minutos depois, quando o ciclo de lavagem acabou e Kimba saiu de lá de dentro - molhada e com o orgulho ferido.

Seus donos a levaram ao veterinário onde ela foi submetida a um check-up e voltou para casa, ronronando como se fosse uma motoquinha.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

HUMOR "Como Dar Comprimido Para Um Gato em 14 Passos "


Por Fabio Rinaldi

01. Posicione o dedo indicador e o polegar da mão esquerda em cada canto da boca do gato. Pressione levemente para que ele abra a boca. Tão logo isto aconteça, coloque o comprimido em sua boca. Permita que o gato feche a boca e engula a pílula.

02. Pegue a pílula do chão e o gato detrás do sofá. Encaixe-o no seu braço esquerdo e repita o processo.

03. Apanhe o gato no quarto e jogue fora o comprimido encharcado.

04. Pegue um novo comprimido, coloque o gato em seu braço esquerdo e segure as patas traseiras com a sua mão esquerda. Force-o a abrir a boca e empurre o comprimido até a garganta com o indicador. Feche a sua boca imediatamente e conte até 10 antes de soltá-lo.

05. Apanhe o comprimido de dentro do aquário e o gato de cima do guarda-roupa. Peça ajuda a um amigo.

06. Ajoelhe-se no chão com o gato preso firmemente entre os joelhos, segurando suas quatro patas. Ignore os grunhidos emitidos pelo gato. Peça ao amigo que segure com força a cabeça dele enquanto você abre a boca. Coloque uma espátula de madeira o mais fundo que puder. Deixe o comprimido escorregar pela espátula e esfregue a garganta vigorosamente.

07. Apanhe o gato que está grudado no trilho da cortina e pegue outro comprimido. Lembre-se de comprar uma nova espátula e remendar a cortina. Cuidadosamente enrole o gato numa toalha de modo que apenas sua cabeça fique de fora. Peça para o amigo mantê-lo assim. Dissolva o comprimido em um pouco de água, abra a boca do gato com o auxílio de um lápis e despeje o líquido em sua boca.

08. Veja na bula do remédio se ele é nocivo para seres humanos. Beba um pouco de água para se acalmar. Faça um curativo no braço do amigo e limpe o sangue do tapete com água morna e sabão.

09. Busque o gato no vizinho. Pegue um novo comprimido. Bote o gato dentro do armário da cozinha e feche a porta, mantendo a cabeça do gato para o lado de fora. Abra a boca com o auxílio de uma colher de sobremesa. Jogue o comprimido para dentro da boca com o auxílio de um estilingue.

10. Vá até a garagem e apanhe uma chave de fenda para colocar a porta do armário no lugar. Coloque uma compressa fria nos arranhões do seu rosto e cheque quando tomou pela última vez a vacina antitetânica. Jogue a camiseta fora e apanhe outra em seu quarto.

11. Chame o corpo de bombeiros para apanhar o gato do alto da árvore do outro lado da rua. Peça desculpas ao vizinho que se machucou tentando desviar-se do gato. Pegue o último comprimido do frasco.

12. Amarre as patas dianteiras nas traseiras com uma corda do varal e prenda o gato no pé da mesa de jantar. Coloque luvas de jardinagem. Abra a boca do gato com uma pequena chave inglesa. Coloque o comprimido seguido de um pedaço de filé mignon. Segure a cabeça dele na vertical e derrame meio copo d'água para ajudá-lo a engolir o comprimido.

13. Peça ao seu amigo para levá-lo ao pronto socorro mais próximo. Sente-se tranqüilamente enquanto o médico sutura seus dedos e braços e remove partes do comprimido que ficaram encravadas no seu olho direito. Pare na primeira loja de móveis no caminho de casa e encomende uma nova mesa de jantar.

14. Procure um veterinário que faça atendimento a domicílio.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Como cuidar de Gatos


Por Fabio Rinaldi

Vacinação

Todos os gatos necessitam receber a vacinação para se evitar a rinotraqueite, calicevirose, panleucopenia, etc, e a mais conhecida de todas as doenças: a raiva. Contudo, o filhote não as deve receber todas de uma vez, é preciso esperar o tempo necessário, mas jamais descuidar-se delas.

Seu filhote somente poderá ser vacinado contra a raiva a partir dos 4 meses de idade, e deverá ser revacinado anualmente com todas as vacinas. Aprenda a levar o seu amiguinho ao veterinário regularmente.

Cuidados especiais

SARNA - A grande maioria das sarnas tem cura, mas o quanto antes se inicia o tratamento, mais rápido e fácil será a cura. Ao primeiro sinal da doença, procure o veterinário ou voluntário responsável que poderá orientá-lo.

PULGAS E CARRAPATOS - As pulgas vivem em tapetes, cadeiras estofadas e nos tecidos onde o gato dorme. Tanto as pulgas como os carrapatos podem transmitir doenças capazes de matar o seu animalzinho. Um produto eficaz é o Frontline (spray ou spot), mas existem outros produtos próprios para combater esses parasitas, porém consulte sempre o seu veterinário para orientá-lo melhor.

CÁLCIO - Todo filhote necessita de cálcio para poder crescer forte e saudável, por isso é importante que ele receba durante o seu primeiro ano de vida. Sugerimos adquiri-lo em farmácias ou casas de produtos veterinários. Tendo qualquer dúvida, fale com o veterinário responsável para receber a orientação necessária.

Banho
Os gatos são animais que não suam e por isso não costumam ficar mal cheirosos. Daí necessitarem de poucos banhos, pois eles mesmos cuidam de sua higiene.

O banho deve ser dado com água morna e produtos neutros, próprios para animais. Tomar cuidado para não entrar água e sabão nos olhos e orelhas. No inverno evite banhos. Procure escovar o seu gato, pois assim você estará eliminando os pêlos mortos, escamações de pele morta e outras impurezas.


Educação

Eduque seu animalzinho com firmeza, mas sempre com muito carinho. Os gatos costumam ser animais limpos e que não gostam de fazer suas necessidades em qualquer lugar. Mas precisam de tempo, aprendizado e paciência. Quando ele fizer uma de suas artes, repreenda-o com um jornal enrolado, para bater no chão, ao lado da prova do crime. Jamais bata nele, isso pode provocar traumas que poderão torná-lo medroso ou mesmo agressivo.

Damos como sugestão a areia/sílica granulada, que serve como sanitário para os gatos. Os granulados devem ficar numa caixa de plástico e esta deve ser deixada num local onde o gato possa entender que é o seu banheiro. Pelo menos 1 ou 2 vezes ao dia a caixa deve ser higienizada, retirando-se com uma pá a sujeira juntamente com os grãos acumulados nesta. A areia, além de higiênica, atrai os gatos e torna o ambiente mais limpo e sem cheiro, já que estes granulados também absorvem o mau cheiro.

Jamais deixe ele sair sozinho nas ruas, além de correr risco de atropelamento, pode sofrer agressões, entrar em contato com animais contaminados, ingerir alimentos estragados ou envenenados.

Você é professor dele, com carinho, paciência e bom senso você conseguirá com que o gato aprenda o necessário para viver bem e feliz. Coloque um nome nele e chame-o sempre dessa forma. O local onde ele dorme deve ser limpo, seco e protegido contra chuvas, sol intenso, vento e frio. Um animal bem cuidado terá uma vida boa e feliz. Nunca o abandone, ele depende de você!

Alimentação

Escolha uma ração apropriada a filhotes para alimentá-lo até 1 ano de idade. Depois troque para ração de adultos.

Deixe a ração seca sempre disponível, pois, conforme dissemos anteriormente, gatos se alimentam de 13 a 20 vezes por dia, diferentemente da necessidade diária de um cão.

Jamais ofereça alimento mofado, estragado, com muito tempero, molhos, doces ou chocolates para seu gato filhote ou adulto. A ração super premium é um alimento completamente balanceado.

Mantenha sempre disponível uma vasilha com água limpa e fresca.


Vermifugação

Os vermes são os grandes vilões dos gatos, principalmente dos filhotes. Por isso, o seu amiguinho foi entregue aos seus cuidados devidamente vermifugado na primeira dose (pelo menos é o que todo doador deveria fazer). Porém, você deverá reforçar essa vermifugação para garantir a perfeita saúde dele.

Depois de adulto é conveniente vermifugar seu gato a cada 6 meses. Tratar com vermífugo regularmente permite ter o controle da maioria dos parasitas internos (vermes), evitar doenças e até mesmo a morte do animal. Além do mais, vermifugar é barato e fácil de se fazer.

Os tipos de Miados


Por Fabio Rinaldi

Os gatos miam para expressar seus sentimentos e desejos. Já foram encontrados cerca de 100 miados diferentes. Acredita-se que este som seja mais usado na comunicação com os homens do que com os animais. Uma miado fraco significa cumprimento. Um curto indica que o gato está com fome ou querendo fazer as necessidades. Já o longo é uma maneira de dizer que está com dor. Ao pressentir um inimigo, o bichano geralmente emite um miado breve e alto. Existe também o miado típico do acasalamento, um som que o gato ouve de longe.

Vírus ameaça gatos com ataque ao sistema imunológico


Por Fabio Rinaldi

Caso seu gato apresente dor abdominal, apatia, falta de apetite, vômitos e diarréia com sangue, é hora de consultar um veterinário com urgência. O animal pode estar sofrendo de panleucopenia felina, uma doença viral que ataca o sistema imunológico dos felinos. Muito contagiosa, sua taxa de mortalidade é alta. Afeta, principalmente, bichos jovens, que ainda não desenvolveram totalmente as defesas naturais.

"Acredita-se que a panleucopenia tenha originado a parvovirose canina por meio de mutação genética, pois os sintomas e as características do vírus são parecidos. Nos gatos, causa uma redução drástica da taxa de glóbulos brancos no sangue, afetando a defesa do organismo contra agentes externos", explica o veterinário Rodrigo Gonzalez, professor da Universidade Anhembi Morumbi.

Segundo o especialista, a doença afeta a medula óssea, onde são produzidos os glóbulos brancos, e o sistema gastrointestinal. Um dos sintomas mais graves é a gastroenterite (inflamação do estômago e dos intestinos) aguda, que leva rapidamente à desidratação.

"Quando houver suspeita de panleucopenia, a alimentação do gato deve ser interrompida imediatamente para evitar os vômitos e a diarréia. É dado imediatamente soro ao gato para alimentá-lo e hidratá-lo. O animal, ainda, recebe antibiótico com o objetivo de prevenir e controlar infeções bacterianas decorrentes da baixa imunidade", recomenda Gonzalez. O tratamento, afirma o veterinário, dura de cinco a sete dias.

"A taxa de mortalidade é elevada, mas gatos que vencem o quinto dia da doença têm mais chances de sobreviver", afirma o especialista. Segundo ele, a doença é bem mais branda ou até assintomática quando afeta felinos adultos.

Outro cuidado em relação à panleucopenia se deve à resistência do vírus causador da enfermidade, que é altamente transmissível. Prova disso é que gatos já curados podem infectar outros durante cerca de 30 dias após serem atingidos pela panleucopenia.

"A doença pode ser contraída por meio do contato direto com fezes, saliva e urina infectadas. Também é transmitida pelo ar. O vírus deve ser eliminado com a aplicação de hipoclorito de sódio [água sanitária] no ambiente infectado para evitar o contágio de outros felinos. Passar álcool nas superfícies contaminadas não resolve o problema", diz o veterinário Paulo Salzo, professor da Universidade Metodista.

Apesar de grave, a ocorrência de panleucopenia diminuiu bastante ao longo dos últimos dez anos, de acordo com os especialistas. A vacinação correta explica o controle da doença. "Fazer as três vacinações do gato após os primeiros 45 dias de vida é a melhor forma de o bicho criar anticorpos e prevenir o problema", salienta o veterinário Paulo Salzo. Portanto, fique de olho na saúde do bichano.

118ª e 119ª Exposições Internacionais de Gatos de Raça


Por Fabio Rinaldi

Não vai perder esta heim!!!!

domingo, 9 de maio de 2010

Sunshine descansou...


Por Fabio Rinaldi

Nossa pequena descansou...

Foi resgatada por nós quando era vítima de maus tratos. Teve todo amor, carinho e respeito que um animal merece. Só temos que agradecer a ela por todos os momentos felizes que passamos juntos. Um amor incondicional...Ficará para sempre em nossos corações.

Vídeo do último trabalho dela na mídia:



"Aquele que maltrata animais porque os tem em seu poder é tão covarde quanto tirano. A disposição para causar dor, quer seja ao nosso semelhante quer aos seres irracionais, é satânica. Muitos não compreendem que sua crueldade há de ser conhecida, porque os pobres animais mudos não a podem revelar. Mas, se os olhos desses homens pudessem se abrir, veriam um anjo de Deus, em pé, como testemunha, para atestar contra eles no tribunal celestial. Um relatório sobe ao Céu, e aproxima-se o dia em que se pronunciará juízo contra os que maltratam as criaturas de Deus."


Obrigado "Branquinha"! Descanse em paz!

domingo, 25 de abril de 2010

Celebridades e seus gatos...



Por Glauce Arrais

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Conheça o Sphynx (Gato sem pêlos)


Por Fabio Rinaldi

NOME EM INGLÊS: Canadian Hairless ou Sphynx
PAÍS: Canadá
ANCESTRAIS: Pêlos curtos sem pedigree
ORIGEM: 1966
ÍNDOLE: afetivo e inteligente
TAMANHO: médio
PESO: Fêmeas (seis a oito libras) é geralmente menor que machos (oito a dez libras).
PELAGEM: Apesar de serem descritos às vezes como "pelados", os gatos Sphynx retêm uma quantidade variável de lanugem que é mais visível nas extremidades do corpo.
CARACTERÍSTICAS: Orelhas triangulares e arredondadas nas pontas; bigodes podem estar ausentes; presença de pigmentos cutâneo dando cor ao corpo e o padrão de manchas é único para cada gato; cauda longa afinando até a ponta; pernas de comprimento médio, corpo esguio no formato dos gatos orientais; corpo musculoso e não excessivamente enrugado.

Em 1966 um gato doméstico deu à luz a um gatinho sem pêlos em Toronto, Canadá. Assim iniciou a criação do gato de Sphynx, uma mutação natural que deu origem a raça que conhecemos hoje. Foram achados este gato e alguns outros gatos naturalmente sem pêlos em todo o mundo. Eles foram criados naturalmente pela mãe natureza e deram início a esta raça incomum. Este não é, porém, um caso único: mutações semelhantes têm ocorrido em cães e ratos.

Em anos recentes, parece ter havido um interesse crescente por estes gatos que estão sendo atualmente criados tanto na Europa como nos Estados Unidos.

Está hoje esclarecido que a falta de pêlo do Shpynx é uma mutação recessiva, o que significa que estes fatos precisam ser acasalados entre eles a fim de garantir que a prole tenha uma idêntica aparência "pelada".

Nem todo gato pode tomar leite


Por Glauce Arrais

Nos filmes, seguidamente vemos um gatinho tomando uma gostosa tigela de leite. E é exatamente o que fazemos quando queremos agradar algum felino: damos leite.

Mas, na verdade, a maior parte dos gatos não consegue digerir bem o leite de vaca. Isso porque ele contem um açúcar chamado lactose, e os gatinhos não produzem a lactase, enzima que digere esse açúcar.

Quando o felino é bebê, até os três meses é recomendado que ele se alimente somente de leite. Mas leite para gatos, assim como nós humanos tomamos o leite materno. No caso de gatos órfãos, é preciso comprar um específico para esse caso (custa em torno de R$ 25).

Uma vez que os gatos deixam de ser filhotes, não precisam mais de leite. O que atrai o seu gatinho nesse alimento é o seu gosto doce, mas provavelmente ele sentirá muita dor de barriga e terá uma diarréia difícil de controlar.

A história que gatos gostam de leite é verdade, mas isso não faz bem para eles e não deve de maneira nenhuma substituir a alimentação. Para as poucas pessoas que possuem gatos que conseguem digerir a lactose, lembre-se: dê pequenas quantidades, poucas vezes por semana.

Curiosidades sobre gatos!



Por Glauce Arrais

.Homens e gatos possuem a mesma região do cérebro responsável pelas emoções.
· O cérebro do gato é mais similar ao do homem do que ao do cão.
· O gato possui mais ossos do que os humanos. Enquanto o homem possui 206, os gatos possuem 245 ossos.
· Os gatos possuem 30 vértebras, 5 a mais que os humanos.
· Gatos possuem 32 músculos que controlam suas orelha. Ele pode girar suas orelhas, independentemente, a quase 180 graus, e 10 vezes mais rápido do que o melhor cão de guarda.
· A audição dos gatos é muito mais sensível do que a dos homens e cães. Seus ouvidos afunilados, canalizam e amplificam os sons como um megafone.
· Os gatos ouvem até 65 khz (kilohertz), enquanto que os homens ouvem até 20 khz.
· Em proporção ao corpo, os gatos são os mamíferos que possuem os maiores olhos.
·Um gato enxerga 6 vezes melhor do que um humano à noite, porque necessita de 1/6 da quantidade de luz necessária ao homem para enxergar.
· Recentes estudos revelaram que os gatos podem ver o amarelo, azul e o verde. Ainda não se sabe ao certo, se conseguem ver o vermelho, provavelmente essa cor é vista como cinza ou preto..
· O campo de visão de um gato é de 185 graus.
. Os gatos sacrificaram os detalhes e as cores pela capacidade de enxergar com pouquíssima luz. Eles não conseguem enxergar pequenos detalhes, vêem o mundo desfocado.
. Por serem muito sensíveis à luz, os olhos dos gatos possuem pupilas verticais. Quando totalmente abertas, ocupam uma área proporcionalmente maior do que a pupila do homem.
. No fundo do olho, os gatos tem uma camada de células denominadas "tapetum lucidum". A luz, após absorção, é refletida por essas células de volta para a retina, para que seus receptores tenham uma segunda chance de captá-la. Isso aumenta a eficiência dos receptores da retina em cerca de 40%.
· Gatos de olhos azuis e brancos de pelagem, são geralmente surdos.
· Leva cerca de 2 semanas para o filhote ouvir bem e seus olhos abrem em média com 7 dias.
· O gato possui aproximadamente 60 a 80 milhões de células olfatórias. O homem possui entre 5 a 20 milhões.
· Os gatos possuem um órgão olfatório especial no céu da boca, chamado: Orgão de Jacobson. É um analisador de odores e é por isso que as vezes vemos os gatos abrir a boca estranhamente (riso sardônico), quando sente odores fortes.
· O gato possui um total de 24 bigodes, agrupados de 4 em 4. Seus bigodes são usados para medir distâncias.
· Gatos têm 30 dentes, enquanto os cães possuem 42. Os dentes de leite são substituídos pelos permanentes, por volta dos 7 meses de idade.
· Os gatos andam na ponta dos dedos.
. As patas do gato possuem receptores muito sensíveis que levam informações, na velocidade da corrente elétrica, até o cérebro: exploram coisas novas, sentem os alimentos, a velocidade do que passa sobre elas.
· O gato doméstico pode correr a uma velocidade de 50 km/h
· Quase 10% dos ossos dos gatos se encontra na cauda, e esta é responsável pela manutenção do seu equilíbrio.
· O gato doméstico é a única espécie que consegue manter a sua cauda ereta enquanto anda. A cauda também é demonstrativo do estado de humor do gato.
· Quando o gato está assustado, seu pêlo se eriça por todo o corpo. Quando ele vai atacar, o pêlo se eriça somente numa estreita faixa sobre a coluna vertebral.
. Gatos esfregam o rosto em objetos e pessoas para marcar com o seu cheiro, como uma assinatura. O odor é deixado por glândulas, que possuem na parte anterior do rosto.
. Fêmeas esfregam o corpo em machos que querem e também, de uma forma geral, todos se esfregam naqueles que sabem serem maiores e mais fortes, mas não quer dizer que o considerem superiores. É uma deferência e um pedido de amizade.
· O Maicis, o primitivo ancestral dos gatos, era uma pequena criatura que vivia em árvores há 45/50 milhões de anos.
· O Maine Coon é a única raça natural de gatos da América.
· Existem cerca de 100 raças de gatos.
· Gatos respondem mais facilmente a nomes terminados com som "i".
· O gato treme quando sente muita dor.
· O ronronar nem sempre é por alegria e prazer. Alguns gatos ronronam alto quando estão muito assustados ou com dor.
. Gatos selvagens miam muito menos do que os domésticos. Isso se deve ao fato dos gatos aprenderem que miando chamam a atenção do homem para suas necessidades.
· Os gatos são muito limpos e passam cerca de 30% de sua vida se limpando.
· Quando se lavam, os gatos perdem quase tanto líquido quanto perdem na urina.
· Gatos adultos e sadios passam 15% de sua vida em sono profundo. Em sono leve por 50% de sua vida, o que deixa apenas 35% do tempo no estado acordado. Mas passam do estado de sono profunda para acordado e alerta, mais rápido do que qualquer espécie.
· Um gato é capaz de pular 5 vezes a sua altura.
. O gato sempre cai de pé, desde que o tempo de queda seja suficiente, para que ele gire seu corpo e se defenda da queda, amortecendo o impacto.
· A expectativa de vida de um gato de rua (sem dono) é de cerca de 3 anos. Um gato com dono e dentro de casa, pode chegar a 16 anos. Uma fêmea chamada "Ma", viveu por 34 anos, sendo o gato que viveu mais tempo, que se tenha registro, até hoje.
. Para calcular a idade do seu gato, considere que o primeiro ano de vida equivale à 15 anos humanos. Adicione 4 (anos) a cada ano a mais de vida que ele tiver.
·Winston Churchill, Abraham Lincon, Florence Nightngale, Robert E. Lee, Sir Isaac Newton, Mark Twain, compositores como Ravel e Chopin , Buddha, Mohammed, Jules Verne, Ernest Hemingway, Henry David Thoreau, Monet, Renoir. Scarlatti and Liszt, Camille Saint-Saens, Albert Schweitzer, adoravam gatos.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

HELLO KITTY DE PAPEL PARA MONTAR!



Por Fabio Rinaldi

Basta clicar na imagem acima, imprimir, recortar, colar e depois curtir sua miniatura!

Bom divertimento!

GARFIELD DE PAPEL PARA MONTAR!



Por Fabio Rinaldi

Basta clicar na imagem acima, imprimir, recortar, colar e depois curtir sua miniatura!

Bom divertimento!

Você conhece CATNIP?



Por Fabio Rinaldi

Erva do gato ou catnip é o nome comum para uma erva perene da família das hortelãs.

Catnip é uma planta autóctone, embora não muito frequente, que surte um fantástico efeito nestes animais que nos fazem companhia. Uma planta obrigatória no jardim, para quem gosta de gatos!!!

A erva-dos-gatos, nêveda-dos-gatos (Nepeta cataria), gataria ou catnip é originária do Mediterrâneo.

A catnip foi trazida para as Américas pelos colonizadores europeus justamente porque se atribuía a ela propriedades medicinais.

É considerada antiácida, tônica e cicatrizante, entre outros.
Também é usada em cataplasmas contra a artrite e o reumatismo.
A curiosidade é que essas propriedades medicinais só estão ativas no verão.

A catnip pode ser usada de diversas formas: com as folhas frescas, pode-se fazer uma salada ou uma infusão – acredita-se que a erva alivia a insônia e a hiperatividade.

Segundo os estudiosos e veterinários, o cheiro desta erva estimula o instinto predador do animal e afeta quase todos os felinos, inclusive leões, pumas e onças e é inofensiva para eles.

Embora muitos gatos tentem comê-la, cientistas dizem que eles estão reagindo ao cheiro ao invés do gosto.

Os felinos mordem, mastigam, esfregam ou rolam sobre esta erva e fazem isso para libertar a essência das folhas.

Por isso, a erva do gato pode deixar seu felino bastante agitado e alerta por horas.

Pelo fato de não haver realmente um odor que cause esse tipo de reação nas pessoas, é difícil para nós entendermos esse comportamento.

Contudo, não é um comportamento incomum nos animais, que confiam muito em seu olfato.

Por exemplo, há muitos odores que vão desencadear um comportamento de caça nos cachorros e outros que vão fazer com que os cachorros parem no caminho e rolem sobre o odor.

Embora ninguém saiba exatamente o que acontece no cérebro do gato, é sabido que a substância química nepetalactone é o que desencadeia a resposta.

A reação à erva do gato é herdada e alguns gatos são imunes a ela.

Essa reação à erva do gato dura poucos minutos.
O gato acaba se adaptando a ela, mas depois de duas horas longe, o animal se recompõe.

Então, a mesma reação pode acontecer se o gato entrar em contato com ela novamente.

Aproveitando-se do poder de atração da erva sobre os gatos, os proprietários de gatos costumam esfregar a catnip em algum pedaço de madeira nos quais eles queiram que seus animais afiem as unhas.

No Brasil, a planta é comum nas regiões Nordeste e Sul do Brasil, nos terrenos baldios, acostamentos e locais pedregosos.

Recentemente cientistas da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, descobriram mais uma das propriedades da catnip: repelente de baratas.

Catnip é uma erva medicinal aromática, que depois de seca é utilizada como recheio de ratinhos de feltros, peixinhos de pano e novelos de lã.

Também é colocado dentro dos travesseiros e das almofadas que os bichinhos dormem.
Tudo isso, porque a erva acalma e aumenta a atração pelos brinquedos, contribuindo para a saúde geral, física e mental dos gatinhos.

Assim, com as folhas secas, é possível fazer uma almofada para o seu gato ele vai adorar!

Vacinação é a única forma de proteger seu gato de infecções



Por Glauce Arrais

A vacina é a única forma de proteger os gatos contra doenças infecciosas virais ou bacterianas, a maior causa de morte nesta espécie, que por sua vez são transmitidas entre animais não vacinados.

Os filhotes de gatos precisam de acompanhamento médico periódico com o propósito de serem examinados e vacinados para um desenvolvimento saudável.

Doenças

Atualmente existem vacinas para prevenir as seguintes doenças em gatos:

Rinotraqueíte Viral Felina

Doença altamente contagiosa causada pelo Herpesvírus felino. Os sintomas são espirros, tosse, dificuldade respiratória, secreção nasal, oclusão nasal, perda do olfato, respiração pela boca, vômitos, secreção ocular, conjuntivite severa, edema palpebral, úlcera de córnea, lacrimejamento, febre, falta de apetite e apatia. A infecção pelo herpesvírus felino pode deixar seqüelas como rinite crônica e ceratoconjuntivite seca por toda a vida do animal.

A transmissão ocorre por via oral, por objetos e ambiente contaminados, pela mãe inclusive se esta não for imunizada. A Rinotraqueíte é endêmica em colônias infectadas, onde a transmissão ocorre por contato direto com condições ambientais favoráveis ao agente como alta densidade populacional de filhotes de diferentes ninhadas, fêmeas em fase reprodutiva e machos inteiros reunidos no mesmo ambiente, pouca ventilação e higiene inadequada.

Alguns animais podem apresentar estado de portador, ou seja, não apresentam sintomas, mas eliminam o vírus periodicamente por meses e ou anos. Pode reaparecer varias vezes na vida, quando ocorre queda da resistência, devido a estresse. Animais infectados devem ser retirados da criação.

Calicivirose

Causada pelo vírus Calicivírus, provoca secreção nasal, espirros, vômitos e dificuldade respiratória. Surgem úlceras orais em palato, língua, narina e patas. Causa muita dor para deglutir, salivação, boca fétida, apatia, gengivite crônica, perda de peso, desidratação, comprometimento do sistema imune, artrite, com muita dor articular. Em alguns casos pode apresentar pneumonia.

O estado de portador também ocorre nesta virose e é transmitido da mesma forma que o herpesvírus felino, ou seja, por via oral, por objetos e ambiente contaminados, sendo que é mais resistente no ambiente.

Clamidiose

Causada pela bactéria Chamydia psittaci, causa no animal conjuntivite aguda, de moderada a muito grave, sem comprometimento sistêmico, apresentando recidivas freqüentes.

A Clamidiose é endêmica em colônias infectadas, onde a transmissão ocorre por contato direto com condições ambientais favoráveis ao agente como alta densidade populacional de filhotes de diferentes ninhadas, fêmeas em fase reprodutiva e machos inteiros reunidos no mesmo ambiente, pouca ventilação e higiene inadequada.

Panleucopenia felina

Causada por um vírus semelhante ao da parvovirose canina, o Parvovírus felino, é muito freqüente em animais jovens, responsável pela síndrome do definhamento dos filhotes.

Os sintomas são vômitos, febre, apatia, falta de apetite, desidratação, comprometimento do sistema imune e em alguns casos diarréia. Podendo apresentar comprometimento neurológico em filhotes e na infecção intra-uterina atingindo o filhote que por sua vez nasce sem cerebelo, apresentando problemas de equilíbrio.

A transmissão ocorre pelo contato direto, transplacentária, por objetos, ambiente, sendo um vírus muito resistente a desinfetantes e permanece no ambiente até um ano.

Leucemia Felina

Doença viral freqüente e muito grave devido a portadores assintomáticos. A Leucemia Felina é causada por um Retrovírus, sua transmissão ocorre pelo contato oronasal direto e íntimo entre gatos suscetíveis com gatos infectados que eliminam através da saliva, urina, placenta, leite e fezes.

É uma doença de grupo de felinos amigos, facilitada pelo comportamento social dos felinos, como mordidas e lambidas de acasalamento, pelo uso em comum de bebedouro, comedouro e vasilhas sanitárias.

É uma doença com várias manifestações, de modo geral apresentam mucosas pálidas, dispnéia, letargia, anorexia, emagrecimento progressivo, febre, gengivite, uveíte, diarréia, fraqueza nos membros, mudança comportamento, sensibilidade na pele, incontinência urinária, infertilidade, abortamento, morte fetal, baixa imunidade favorecendo varias infecções bacterianas, virais e parasitárias persistentes e freqüentes e morte. O Linfoma é a doença neoplásica mais comum.

Diagnosticada pelo exame ELISA através do soro sanguíneo. A prevenção é a melhor medida, vacine, proíba fugas e contato com gatos não testados para Leucemia já que não existe tratamento específico.

Raiva

O vírus da raiva pode infectar todos os animais de sangue quente, inclusive o homem. A transmissão ocorre através da mordida de animais contaminados.
O animal apresenta sinais de alteração comportamentais muito variáveis, como isolamento em locais escuros, quietos, salivação, dores e outros sempre progressivos evoluindo a morte. Não existe tratamento, portanto vacine seu gato.

Vacinas

Saiba como proteger o seu gato, seja ele filhote ou adulto

Vacina Tríplice Felina

Previne contra Rinotraqueíte, Calicivirose e Panleucopenia Felinas. Indicada para gatos domiciliados que não tem acesso à rua e que vivem em companhia de no máximo até três gatos, negativos para Leucemia.

Vacina Quádrupla Felina

Previne contra Rinotraqueíte, Calicivirose, Panleucopenia e Clamidiose Felinas. Indicada para gatos domiciliados que não tem acesso à rua e que vivem em companhia de mais de três gatos, negativos para Leucemia.

Vacina Quíntupla Felina

Previne contra a Rinotraqueíte, Calicivirose, Panleucopenia, Clamidiose e Leucemia Felina. Indicada para local que houver gatos vivendo em comunidade, animais semidomiciliados, em que tem o hábito de sair nas ruas, entrando em contato com gatos de origem desconhecida ou não testados para Leucemia Felina, onde a transmissão do vírus acontece com facilidade. Devemos realizar o exame sorológico antes da administração da Quíntupla Felina.

Vacina Anti-Rábica

Previne contra o vírus da Raiva. Indicada para todos os animais.

Acupuntura em gatos



Por Glauce Arrais

A Acupuntura é a técnica da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) mais popular no Mundo Ocidental.

Com relatos que datam de 1765 a C, foi utilizada na Medicina Veterinária primeiramente em cavalos e elefantes, hoje ganha visibilidade no tratamento de diversas doenças em pequenos animais principalmente nas patologias neurológicas e musculoesqueléticas como artrose, artrite, espondilopatias degenerativas, displasias, cinomose.

Devemos lembrar que muitas patologias tidas como incuráveis e irreversíveis como lesões estruturais/mecânicas encontram na MTC a possibilidade de controle ou seja a melhoria da qualidade de vida do paciente.

Na MTC a doença é caracterizada pelo desequilíbrio da energia interna ou pela a invasão de energias externas (frio, calor, vento) ocasionadas pelo ambiente, alimentação inadequada e stress. Portanto cada caso deve ser avaliado como único e muitas vezes animais com a mesma sintomatologia recebem tratamentos diferenciados.
Após o diagnóstico feito através do exame físico e uma história detalhada, inicia-se o tratamento que consiste na estimulação mecânica ou elétrica de finíssimas agulhas metálicas colocadas em acupontos específicos que garantem a correta circulação de energia, trazendo relaxamento, alívio da dor e a harmonização das funções dos órgãos e vísceras.

O tratamento é feito em ciclos de 10 sessões com duração média de 30-40 minutos. As sessões podem ser diárias ou semanais dependendo de cada caso.
A correta combinação e estimulação desses acupontos garantem um tratamento sem efeitos colaterais, podendo ser aplicada em animais de todas as idades.

Outras técnicas da Medicina Tradicional Chinesa também são aplicadas na Medicina Veterinária, são elas a Moxabustão (bastão de Artemísia vulgaris) que é utilizada para aquecer os acupontos; a fitoterapia (suplementos alimentar feito com extratos vegetais); massagem (tuiná), para seres humanos podemos prescrever também exercícios físicos, de respiração e reeducação alimentar.

É importante ressaltar que para um Veterinário com formação em MTC a queixa principal é apenas o ponto de partida para identificarmos o padrão de desarmonia energética e iniciarmos o tratamento, por isso é comum o proprietário relatar uma melhora no estado geral do seu amigão (melhora o apetite, o sono, a pelagem, a atividade física e mental).

A Acupuntura foi reconhecida como Especialidade de Medicina em 1995 e deve ser aplicada apenas por um profissional capacitado.

Velhice Felina



Por Glauce Arrais

Um gato, atualmente, vive em torno de 15 anos. Mas a longevidade de um felino depende de vários fatores, como, por exemplo, a mudança de conceitos ligados aos gatos. Hoje, por serem tratados como animais de estimação e não como caçadores de ratos, houve uma minimização dos riscos contra a sua vida, com alimentação de qualidade e apropriada, imunização, esterilização, proibição do acesso à rua, evolução da medicina felina, entre outros.

Como a estimativa atual é de 15 anos, aos 10 anos de idade, o gato atingirá o último terço de vida, que corresponde à idade senil, por isso, ele deve chegar a esta idade em boa saúde.

Geralmente, os felinos idosos são mais sedentários, sonolentos, menos curiosos, carentes por não participar das atividades familiares, apresentam dores articulares devido a doenças degenerativas, fraqueza muscular, predispondo-os ao crescimento das unhas a tal ponto de machucar as patas por não gastá-las.

Nesta idade, os gatos também são menos tolerantes ao frio ou calor, procuram locais mais confortáveis e aquecidos para descansar, seus pêlos ficam mais secos e sem brilho, visto que os gatos idosos se limpam menos, seus sentidos ficam diminuídos, como audição, visão e olfato, diminuindo o apetite e ingestão hídrica, os tornando mais suscetíveis à desnutrição e desidratação.

Os felinos também podem apresentar gengivites dolorosas, retenção fecal, problemas urinários e diminuição dos movimentos intestinais, diminuição da capacidade digestiva dos alimentos. Ocorre com maior freqüência a formação de massas ou neoplasias e queda no sistema imune.

Os gatos idosos podem desenvolver doenças crônicas como insuficiência renal ou hepática, hipertiroidismo, obesidade, diabetes, lipidose hepática, hipertensão arterial dificuldades respiratórias, problemas cardíacos, endócrinos em que o exame clínico e exames complementares podem identificar possíveis alterações.

Os segredos para uma longevidade saudável em gatos

Ultrapassar a barreira dos 15 anos não é para qualquer bichano, a expectativa de vida de um gato de rua é de cinco anos, já um bicho castrado, domiciliado, bem alimentado e imunizado consegue alcançar os 15 e, por que não, os 20 anos. O gato mais velho do mundo, segundo o Guiness Book, tem 36 anos.

No entanto, a longevidade de qualquer animal depende 35% de fatores genéticos e 65% de fatores ambientais, ou seja, o ambiente favorável para vida longa inclui um dia-a-dia sem estresse e amor da família. O estado de estresse está ligado ao sistema imune, quando ele aumenta, a resistência física cai, deixando o organismo vulnerável a doenças. No gato ele pode ser provocado pela relação com outros bichos ou humanos.

A castração aumenta a expectativa de vida, pois previne câncer de mama nas fêmeas, grande quantidade de cópulas e partos com muitos filhotinhos. E nos machos diminui o comportamento sexual, que inclui brigas de deputas por fêmeas ou território.
Para prever o futuro de um gato, é importante olhar o seu passado. Sua árvore genealógica diz muito sobre sua vida, a característica de longevidade pode vir de família ou predisposição a doenças, mas nem sempre isso é possível.

Dependendo da raça do gato existem diferenças anatômicas e fisiológicas que influenciam na velhice, predispondo-os a doenças e devem ser investigadas.
É muito importante diferenciar os sinais da idade com manifestações de doença, que pode ser tratada pelo veterinário antes de sua progressão.

O programa preventivo de saúde do gato idoso deve ser iniciado aos 8 anos de idade, com acompanhamento periódico a cada 6 meses para um check-up com avaliação clínica e laboratorial.

Independente da etapa da sua vida é fascinante conviver e amar um felino!

O inverno está chegando e agora?



Por Glauce Arrais

Nos felinos, temos as doenças do complexo respiratório, que são: rinotraqueíte, calicivirose e clamidiose. Estas doenças provocam os sintomas de tosse, espirro, secreção nasal e ocular e podem evoluir para pneumonias, especialmente em filhotes, idosos ou pacientes debilitados.
São doenças que são prevenidas por vacinas, sendo utilizadas por 3 vezes com intervalos de 21 dias a partir de 45 dias em filhotes e em animais adultos, a revacinação anual é muito importante.
Como prevenir as principais "doenças de inverno"?

1) Vacine seu animal anualmente para estas doenças infecciosas.
2) Proteja seu animal do frio e principalmente das quedas bruscas de temperaturas: recolhendo o animal do quintal e colocando-o em um abrigo; não dando banhos frios; e não o levando para passear .
3) Coloque, no ambiente em que o animal dorme, bacias com água ou toalhas molhadas estendidas, para que através da evaporação o mesmo inale um ar mais úmido, o que com certeza irá agredir menos a mucosa respiratória quando ele respirar.
4) Proporcione uma alimentação saudável, higiene e carinho, é disto que o sistema imunológico precisa para ficar sempre eficiente em seu trabalho e não adoecer.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Passaporte internacional para cães e gatos


Por Glauce Arrais

Cães e gatos que acompanharem seus donos em viagens para outros países vão ganhar passaporte internacional. É o que determina um decreto publicado na edição nesta terça-feira do Diário Oficial da União. O documento vai poder substituir os atuais certificado sanitário internacional e atestado de saúde para trânsito de cães e gatos - caberá ao dono decidir se prefere aderir ao passaporte ou não.

A expedição do Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos ficará por conta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Segundo o decreto, o documento deverá ter informações de identificação do dono (nome completo e endereço), do animal (nome, espécie, raça, sexo e data de nascimento), da vacinação antirrábica e de exames exigidos pelos países de destino.

O decreto também prevê a implantação de microchips no bicho, como forma de identificação eletrônica. O microchip já é obrigatório para a entrada de cães e gatos na União Europeia e no Japão.

O Ministério da Agricultura informou que está elaborando uma instrução normativa para definir detalhes sobre o passaporte e a aplicação dos microchips. Em nota, diz que "o documento dará mais rapidez ao processo, já que o mesmo passaporte poderá ser utilizado para a viagem de ida e retorno de cães e gatos ao Brasil".

As regras para viagem internacional variam de acordo com a região - a União Europeia, por exemplo, permite ingresso do animal após três meses da realização do teste de anticorpos contra raiva; no Japão, a espera é de seis meses, informa o ministério.

"Hoje, qualquer cão que sai do Brasil para a União Europeia precisa ter o microchip, mas em países como os Estados Unidos, ainda é possível entrar sem ele", afirma o médico veterinário Marcelo Bauer. A clínica dele, no bairro do Morumbi, em São Paulo, implanta cerca de 60 microchips mensalmente, por R$ 75. O aparelho, revestido em capa de polipropileno, tem o tamanho de um grão de arroz. É implantado em menos de trinta segundos, na base do pescoço do animal.

30/03 - 18:42 - Fonte: Agência Estado

Chocolate pode levar pets à morte


Por Fabio Rinaldi

Com a chegada da Semana Santa e da Páscoa fica difícil não resistir aos apelos dos ovos de chocolate. A guloseima é extremamente popular no País, e fica mais disponível nas prateleiras, nessa época do ano. Constituído por ingredientes altamente atraentes, não são apenas os seres humanos que acabam consumindo o produto, mas também os pets. É justamente aí que mora o perigo. Não são raros os furtos de cães e gatos, que acabam comendo o doce escondido, quando deixado em local acessível, ou ainda quando é dado pelo próprio dono.

Dentre os problemas gerados pela ingestão do chocolate destaca-se a intoxicação alimentar, diarreia, vômito, hemorragia intestinal, e em casos mais graves, até a morte. Isso porque, segundo explica o veterinário Marcelo Quinzani, diretor clínico do Hospital PetCare, o doce é composto por duas substâncias excessivamente prejudiciais aos pets. “O chocolate é constituído entre outros componentes por carboidratos, lipídios e metilxantinas, que são a teobromina e cafeína. Esses dois últimos componentes são absorvidos e são distribuídos via corrente sanguínea para diferentes partes do organismo”, explica.

O médico esclarece ainda que é “no sistema nervoso que essas substâncias vão competir com outras responsáveis pela modulação da atividade cerebral e podem provocar excitação no animal. Já no músculo cardíaco, a atividade também vai ser potencializada aumentando assim a frequência dos batimentos e levando a um descontrole dos bichos”.

Vale lembrar ainda que mesmo os produtos oferecidos pelo mercado pet e que se dizem específicos para animais, se ingeridos em excesso, também são prejudiciais. E para identificar os sintomas da ingestão excessiva de chocolate, a veterinária Fernanda Fragata, diretora do Hospital Veterinário Sena Madureira, explica que os sinais costumam aparecer entre seis a 12 horas após a ingestão. “Os sintomas incluem hiperatividade, respiração pesada, ritmo acelerado dos batimentos cardíacos, tremores musculares, distúrbios no controle de bexiga e até convulsão”.

Chocolate X Quantidade
Para se ter uma ideia do tamanho do estrago causado pela ingestão do chocolate, Fernanda informa que 28,35g da versão ao leite possui de 44 a 48 miligramas de teobromina, ao passo que a versão meio amargo, por ter mais cacau, apresenta 393 miligramas da substância tóxica. Lembrando que os sintomas já começam a surgir a partir da ingestão de 20 miligramas por kg de teobromina e cafeína.

Quinzani esclarece que quanto mais gordura o chocolate possuir, menor será o teor desta substância que ele vai concentrar, por isso, os chocolates brancos oferecem menor risco de intoxicação para cães e gatos enquanto os chocolates amargos são os mais perigosos. “Quanto mais escuro, puro e concentrado for o chocolate maior será o risco de intoxicação”, resume.

Para finalizar, os especialistas são claros na recomendação quando o assunto é prevenção: evitar dar a guloseima seja de qualquer tipo, ao animal. Isso porque infelizmente não há antídoto para intoxicações por teobromina. “A dieta balanceada de um pet deve ser sempre composta por ração e nada mais”, orienta Fernanda.

A cafeína e teobromina presentes no chocolate são tóxicas para cães e gatos

quinta-feira, 11 de março de 2010

Vassoura Esterilizadora com Tecnologia CleanWave



Por Fabio Rinaldi

Proteja sua família e seus animais de estimação com a Vassoura Esterilizadora da Verilux®. Com a tecnologia CleanWave® essa vassoura é leve e facilmente desinfeta sua cozinha, banheiro e o quarto do bebê. Utilizando poderosos raios ultra-violeta, ela mata os germes, bactérias e vírus que se escondem nos pisos e carpetes de sua casa.

Enquanto suas poderosas cerdas varrem migalhas e pó, a luz Germ-X mata todos os germes, deixando o seu assoalho realmente limpo e desinfetado. Uma vez que a tecnologia CleanWave usa a luz e não química, sua família estará totalmente protegida contra a exposição aos perigosos limpadores domésticos comuns.

A vassoura Esterilizadora vem com regulagem de altura, que permite sua utilização em escadas e lugares altos, adaptador AC, recarregador rápido de bateria e manual de instruções completo.

Altura: 114,30 cm
Largura: 27,94 cm
Garantia de um ano.

Muito legal heim! Vale a pena o investimento!

O Ronronar - Um mistério dos gatos!



Por Fabio Rinaldi

Mais do que um simples elemento de comunicação, o ronronado permite que o gato se tranquilize e também agrade a sua família humana e felina, bem como a ele mesmo. O gato também o faz para estreitar as suas relações familiares; acalmar e fazer com que os seus filhotes durmam ou chamá-los para comer; demonstrar seu estado emocional; demonstrar amizade e aprovação.

Quando os filhotes têm 2 dias de idade, começam a ronronar espontaneamente enquanto amam. Essas vibrações os ajudam os filhotes a se orientar, e servem para que a mãe saiba que o fluxo lácteo está correto e que está tudo bem... seria como o sorriso de um bebê. A medida que os filhotes crescem são chamados para comer com um ronronado forte e poderoso. Todos estes ronronados “comunitários” servem para criar e manter uma relação familiar estreita, especialmente importante nas primeiras semanas de vida, nas quais a necessidade de proteção por parte da mãe é absoluta.

Nos gatos adultos, o ronronado é utilizado algumas vezes como um sinal de submissão de um gato perante outro dominante. Nestes casos, a possibilidade de um ataque ou luta é reduzida através da distração do agressor, ou estimulação em sua mente de sentimentos de paz e conciliação. Uma fêmea ronrona quase continuamente durante o cortejo e ato sexual.

Cada gato possui uma forma peculiar de ronronar, e ela varia amplamente de um para outro, tanto na intensidade como na situação que o induz. Alguns gatos, geralmente, ronronam de forma viva e entusiasmada; outros, por sua vez, só sussurram quietos e com discrição; há os que ostentam seus ronronados irregulares, ainda que não menos encantadores, ou bem cheios de gorjeios, sussurros, silvos e arquejos; finalmente estão aqueles que são tão discretos que o seu ronronado só pode ser detectado acariciando para sentir em sua garganta, mais do que escutando, as suas vibrações aveludadas.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Preferência por cão ou gato pode indicar grau de instrução, sugere estudo



Por Fabio Rinaldi

As pessoas que possuem gato têm maior probabilidade de ter feito curso universitário do que as que têm como bicho de estimação um cachorro, sugeriu pesquisa da Universidade de Bristol, na Grã-Bretanha. Das 2.524 residências pesquisadas, nas 47,2% onde havia gato tinha pelo menos uma pessoa com nível universitário, em comparação a 38,4% das casas onde havia cachorro.



O estudo concluiu que os longos turnos, provavelmente associados a empregos que exigem maior qualificação, podem tornar pouco prático ter cachorro.



A pesquisa revelou ainda que o número desses animais no país pode ser maior do que se imaginava. O Departamento de Ciência Clínica Veterinária de Bristol indicou que pode haver 10,3 milhões de gatos e 10,5 milhões de cachorros de estimação na Grã-Bretanha. Uma estimativa anterior, divulgada em um trabalho científico de 1989, indicou que havia 6,2 milhões de gatos e 6,4 milhões de cachorros. No total, estima-se que 26% das residências britânicas possuem gatos e 31%, cães.



Homens e cães
O nível de instrução foi o fator que se destacou mais na pesquisa, de acordo com Jane Murray, especialista em epidemiologia felina da Universidade de Bristol, mas surgiram outras informações no decorrer do trabalho científico.



Dentre as pessoas que participaram do estudo verificou-se ainda que há maior probabilidade de que os donos de cães sejam homens, vivam na área rural e tenham menos de 55 anos de idade. É mais provável que o dono de um gato seja mulher e viva em residências menores, de uma só pessoa.



A idade das crianças em uma família também parece fazer diferença na hora de se escolher o bicho de estimação - é mais comum encontrar gatos do que cachorros em casas onde moram menores de dez anos.



Murray disse que os pesquisadores esperam repetir o estudo usando os resultados do censo de 2011 para ter uma ideia mais clara das tendências britânicas sobre animais de estimação.

Gata 'adota' esquilo na Colômbia



Por fabio Rinaldi

A gata Tito brinca com seu filhote, Paco, e com Firulais, um bebê esquilo que ela adotou na cidade colombiana de Envigado.

Segundo o dono da gata, Ruben Darío Gaviria, a gata está amamentando e dando carinho ao roedor desde dezembro do ano passado, quando Gaviria o trouxe para casa após achá-lo ferido em um galho de árvore.

Gato sobrevive a um mês dentro de frigorífico na Inglaterra



Por Fabio Rinaldi

Felino perdeu parte das orelhas e o rabo por congelamento.


Um gato de um ano de idade sobreviveu a cerca de um mês trancado dentro de um frigorífico no condado de Northamptonshire, no sul da Inglaterra.



A sociedade protetora dos animais britânica (RSPCA, na sigla em inglês), que resgatou o felino no final do mês passado, informou que ele sobreviveu ao frio de -2ºC da câmara comendo ervilhas congeladas e bebendo o líquido que escorria das comidas armazenadas no local.

O porta-voz da empresa responsável pelo frigorífico informou que funcionários da empresa haviam visto o bichano fazia algum tempo, mas não conseguiram resgatá-lo porque ele se escondia.



Então, eles pediram a ajuda da sociedade protetora dos animais, que conseguiu atrair o gato com leite e comida.



Desde então, o gato que ganhou o nome de Frosty ("coberto de gelo", em tradução livre) está sob os cuidados da entidade.



"É incrível que Frosty tenha sobrevivido por tanto tempo em um ambiente tão inóspito", disse Steve Sellars, porta-voz da RSPCA.



Mas o felino não saiu incólume do episódio. Suas orelhas e seu rabo congelaram e tiveram de ser amputados parcialmente.



Mesmo assim, Frosty parece estar se recuperando bem.



"Ele é um gato adorável e se tornou muito brincalhão. Nós estamos trabalhando por sua total recuperação e para conseguir um novo lar para ele", disse Sellars.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Você Sabia?



Por Fabio Rinaldi

Os gatos têm em média de 4 a 6 quilos e 80 cm de comprimento, da cabeça ao rabo. Seus corpos são formados por 245 ossos e 517 músculos.

A boca do gato guarda 30 dentes, incluindo os caninos, que servem para matar e depois despedaçar a presa. A áspera língua é coberta por sensores de temperatura e gosto, além de ser usada também para a limpeza dos pêlos.

Os gatos são animais curiosos por natureza e adoram brincar com cabos e fios elétricos, alheios ao perigo de levar choques.

Plantas venenosas em casa podem representar um perigo aos felinos. Alguns gatos gostam de mastigar folhas.

Anualmente, os americanos gastam cerca de 4 bilhões de dólares em ração para gatos. Um bilhão a mais do que gastam com comida de bebês !

No Brasil, a expectativa de gastos com um veterinário para seu gato é de cerca de 160 reais por ano, na melhor das hipóteses.

Em toda a vida do seu gato, você deverá gastar algo em torno de 13.500 reais, só com suas necessidades básicas. Nos EUA, são gastos por ano US$ 295 milhões só em areia sanitária.

O gato mais pesado do mundo era Himmy, um gato australiano que chegou a pesar 21 KG em 1986. Sua cintura tinha 84 cm de largura.

Um gato normal pesa em média 4 KG. O recorde anterior era de Ginger, uma gata de Connecticut que pesava 19,5 KG ao morrer em 1977.

O gato mais leve do mundo foi um himalaiano de Illinois, que pesava apenas 800 gramas e media 18,4 cm de comprimento e 7 cm de altura.

A expectativa de vida dos gatos dobrou desde 1930, passando de 8 para 16 anos;

A duração média de vida de um gato que vive dentro de casa é de cerca de 15 anos. Esta média baixa para assustadores de 2 a 5 anos para os gatos que vivem soltos nas ruas.

O gato de vida mais longa já registrado foi o inglês Puss, que morreu em 1939, um dia depois de ter completado seu 36º aniversário. A gata mais idosa foi uma fêmea inglesa rajada que morreu em 1957, aos 34 anos.

quarta-feira, 3 de março de 2010

A origem do Maneki Neko (Gato da Sorte)



Por Fabio Rinaldi

Atualmente conhecido em todo o mundo como talismã da sorte e, particularmente, como talismã que atrai fregueses para casas comerciais, o Maneki-neko, o gatinho sentado que tem a patinha levantada, tem diferentes lendas a respeito de sua origem, conforme região do Japão. Esta é uma das versões do lado leste do Lago Biwa, na região central do Japão.

Conta a lenda que quando o lorde guerreiro Ii Naotaka (1590~1659) voltava do cerco e tomada do Castelo de Osaka, após ter comandado 3,2 mil homens e se destacado na Batalha de Tennoji, em março de 1615, surpreendido por uma chuva repentina, abrigou-se em baixo de uma árvore próximo do Templo Gotokuji, em Setagaya.

Gotokuji, na época, era um templo decadente, com pouca freqüência de fiéis e, portanto, muito pobre. No templo, vivia um monge budista e uma gata de nome Tama. Solitário, o monge conversava com a gatinha lamentando quase sempre a situação de penúria do templo.


Salvo pelo gato: raio atingiu a árvore no local em que Naotaka estava encostado
– A situação está cada vez pior. Hoje, nem temos arroz para comer. Bem que você podia dar uma ajuda para melhorar nossa situação, em vez de ficar dormindo o dia inteiro.

Esperando a chuva passar sob a árvore, Ii Naotaka olhou para o velho templo e viu um gato sentado sobre suas patas traseiras e acenando com a pata dianteira levantada. O samurai ficou encantado pela habilidade do bichinho e foi em direção do templo para ver de perto a façanha.

Quando Naotaka chegou junto ao templo, um raio fulminante atingiu a árvore exatamente no local em que ele estava encostado. O guerreiro imediatamente percebeu que aquele gesto do gato havia salvado sua vida. Então, entrou no templo para rezar em agradecimento à graça recebida.

No salão principal, havia várias goteiras, e todo o templo estava em condição lamentável. Naotaka fez oferenda de todo o dinheiro que carregava ao altar, comentando com o monge que a sabedoria de Buda iria usar aquele dinheiro para reformar o templo. Após esse episódio, Naotaka passou a freqüentar o Gotokuji, e o local tornou-se, então, o templo oficial da família de Ii Naotaka. Conseqüentemente, tornou-se um local próspero e visitado por todas as pessoas do feudo.

Para homenagear o gesto de Tama, que tanta sorte trouxe ao templo e salvou a vida de Naotaka, foi esculpido e colocado no local uma estátua da gata com a mão levantada. As réplicas em miniaturas da estátua, que eram distribuídas no Templo Gotokuji como lembrança, tornaram-se, mais tarde, amuleto da sorte, com o nome de Maneki-Neko.

Outra versão

História também bastante conhecida, surgida nos meados da Era Edo (1615~1868), conta que existiu, no bairro de Imado, em Edo (hoje Tóquio), uma velha senhora que tinha um gato de estimação. A velhinha estava em péssimas condições financeiras, porque, devido à idade avançada, não conseguia arranjar um trabalho para garantir seu sustento.

Numa determinada ocasião, a situação ficou tão crítica, que ela não tinha mais como alimentar seu gatinho. Então, conversando com o bichinho, disse:

– É com o coração partido que terei de abandonar você. Devido à minha condição de extrema pobreza, não tenho como continuar lhe alimentando.

Depois, com lágrimas nos olhos e barriga roncando, a velhinha foi dormir. Em seu sonho, o gato apareceu e disse:
– Molde minha imagem em barro, que trará muita sorte a você.

No dia seguinte, ela resolveu fazer uma estatueta do gato, conforme o sonho havia sugerido. Enquanto ela moldava o barro, o gato estava “lavando a cara” com gestos exagerados e, achando engraçado, a velhinha resolveu moldar o bichinho com a pata levantada. Nisso, passou uma pessoa em frente de sua casa e, achando interessante, quis comprar a estatueta. Como estava dias sem comer, a velhinha vendeu a estatueta e comprou comida para ela e o gato. Assim, de barriga cheia, resolveu fazer outra estatueta para deixar como talismã da sorte. Porém, apareceu outra pessoa e comprou a segunda estatueta

Quanto mais a velhinha fazia estatuetas, mais aparecia gente para comprá-las. Com isso, ela mudou de vida e nunca mais passou necessidades. E a estatueta da sorte passou a ser conhecida como Maneki-Neko.

Copyright by SLPG 2017

Related Posts with Thumbnails